Por que encerar o carro e quais são os tipos de cera que existem?

Encerar o carro é tão fundamental quanto a lavagem periódica. Em tempos de risco de racionamento é possível recorrer a lavagem a seco, porém o enceramento dispensa uso de água e não tem restrição. Mas porque deve-se encerar o carro?

A cera ajuda a proteger o verniz, a última camada que dá brilho à pintura automotiva. Se ela ficar exposta ao sol sem proteção, tende a ficar ressecada, opaca, e estragar aquele brilho reflexivo do carro. É igual a pele humana, e precisa de “hidratação” a cada 30 dias para veículos que ficam expostos ao tempo ou a cada 45 ou 60 dias, em carros de garagem ou que ficam em locais cobertos.


Encerar o carro também ajuda a evitar as lavagens frequentes. Isso porque a camada de proteção da cera evita que as sujidades penetrem no verniz e estraguem o visual da pintura. “Não é apenas uma questão estética, pois a carnaúba das ceras de boa qualidade funcionam como uma camada fina de proteção e que vai evitar a lavagem frequente e para manter o brilho e proteção da carroceria” explica Henrique Caran, diretor do grupo Interbrilho fabricante da Cerabrill.

Muita gente desiste de encerar o carro porque é trabalhoso e cansativo, mas hoje a tecnologia ajuda a reduzir esse esforço e melhorar o resultado. Estopa e flanela são coisa do passado e hoje em dia pode-se usar os aplicadores (que são como esponjas) e panos de microfibra. No entanto, antes de encerar, é preciso lavar e secar bem o veículo e aplicar o produto na sombra, jamais no sol e nunca com o carro molhado.

encera-o-carro

Como saber se o carro precisa ser encerado? Duas dicas são muito úteis. Com o carro limpo, jogue um pano sobre o capô (geralmente inclinado). Se o pano deslizar, ainda existe proteção. Se o pano ficar, já é hora de colocar mãos à obra. Outro teste é o deslizar as “costas” do dedo indicador na carroceria, que deve deslizar com facilidade.

Basicamente existem quatro tipos de cera, uma para cada ocasião e circunstância. No entanto, Henrique Caran alerta que existem produtos diferentes para circunstâncias diferentes “Nós fabricamos cera há 40 anos e notamos que o consumidor procura muito os produtos em formato spray que oferecem brilho imediato mas não removem riscos profundos que a cera tradicional em pasta é capaz de remover; são produtos diferentes”, explica o executivo.

Confira os principais tipos de cera automotiva
e tire o melhor resultado sem frustrar suas expectativas.

1- Cera em pasta – geralmente é mais abrasiva, ou mais “forte”. Ela remove riscos mais profundos porque tem mais solventes em sua composição. De cor rosada ou branca, devem ser aplicadas com algodão ou esponjas próprias, em movimentos circulares, sob a carroceria fria e à sombra. Não devem ser usadas com muita frequência pois o solvente remove pouco a pouco o verniz. Pode ser usada a cada seis meses. Ceras com carnaúba ou à base d´água são melhores e menos agressivas para a pintura. Tempo de trabalho: por volta de 1 hora em um carro compacto.

2 – Cera líquida – contém menos solventes e pode ser aplicada de forma mais frequente na pintura. Também remove riscos mais superficiais e ajuda a repor a proteção do verniz. O método de aplicação é o mesmo da cera em pasta, e a remoção pode ser feita com microfibra. Pode ser usada uma vez por mês. Tempo de trabalho: por volta de 40 minutos em um carro compacto.

3 – Cera em spray – a cada dia existem mais produtos neste formato que é prático e rápido. A cera em spray contém emulsão de silicone ou carnaúba, e ajuda a repor a camada de proteção da pintura. No entanto, ela não tem a mesma função das ceras líquidas e não remove riscos nem as sujidades impregnadas. Deve ser aplicada em carros já previamente encerados ou polidos, ou seu efeito será reduzido. Tempo de trabalho: por volta de 10 minutos em um carro compacto.

4 – Cera de lava rápido – diferente de todas as demais, a cera de lava rápido é apenas um aditivo misturado ao sabão, que oferece brilho temporário à carroceria. No entanto, não remove riscos, nem a sujidade, e se o carro não estiver encerado, ela não tem efeito algum. É preciso ter cuidado pois a cera de lava rápido não pode ser aplicada sob o sol pois pode manchar a pintura, principalmente em carros de cor escura.

Em casos mais severos como fezes de pássaros, manchas profundas ou pintura muito opaca, pode ser necessário o polimento feito com produto específico que requer aplicação de um profissional especializado. Em procedimentos específicos, após a massa de polir o carro recebe selantes, produtos de alto brilho e compostos que melhoram muito a aparência do veículo. Mesmo após o polimento, é preciso aplicar cera e manter o carro encerado para manter o brilho e proteção.


Confira também: 
Como conservar e cuidar do meu carro?

Confira estas e outras dicas em www.matel.com.br

Comentários - Deixe o seu

Comentários