Entenda como funciona a venda de carro usado para particular

Quem é pessoa física e deseja vender o seu automóvel usado, pode seguir dois caminhos para concretizar esse desejo. O primeiro é ir até uma concessionária ou loja revenda para avaliar e vender o automóvel. O segundo é buscar um comprador também pessoa física.

Como você provavelmente já deve ter notado, a venda para concessionárias e revendedoras desvaloriza o preço do carro, uma vez que intermediadores são acionados e cada parte envolvida pretende lucrar com o negócio.

E a venda direta para pessoa física? Como ela acontece? Entenda agora como funciona a venda de carro usado diretamente para um comprador particular.


 

Não obrigação de fornecimento de garantias

A venda de carro usado a partir do proprietário, pessoa física, não obriga o repasse de garantias. Quando essa mesma venda é feita por um revendedor ou loja, pessoa jurídica, o consumidor tem por direito, garantido do Código de Defesa do Consumidor, 90 dias de garantia. As transações feitas entre pessoas físicas não são regidas pelo código do consumidor.

O preço do veículo deve ser atraente

O carro a ser vendido diretamente pela pessoa física pode não ter a vantagem da garantia que a loja fornece, porém o seu preço tende a ser bem mais competitivo. A ausência de intermediários entre o vendedor particular e o comprador consegue reduzir o preço em até 20% se compararmos com os valores praticados nas lojas.

A confiança entre as partes é indispensável

Quando uma pessoa física decide vender o seu carro ela está sujeita a todo os tipos de pessoas, inclusive aquelas mal intencionadas. Buscar uma referência do comprador para saber se é um bom pagador.

É preciso extrema clareza  

Quando o vendedor do carro usado conhece o comprador, e este é uma pessoa mais próxima, uma série de atritos pode surgir caso uma das partes esteja insatisfeita com o negócio. Seja pelo não pagamento em dia dos valores combinados ou pela expectativa frustrada pós-compra, a venda entre conhecidos pode gerar constrangimentos. Para evitar isso, seja absolutamente claro quanto às condições do veículos e quanto aos termos da negociação.

Alguns cuidados são cruciais na negociação

Confira o preço (com base na Tabela Fipe) e estabeleça um valor justo para o seu automóvel considerando também o histórico dele

Resolva as pendências antes de vender. Esteja com todos os impostos e multas do veículo em dia. Se necessário, solicite ao Detran todas as pendências para quitá-las.

A manutenção do veículo deve estar em dia. Cumprindo o cronograma de revisões do seu automóvel e resolvendo todo e qualquer probleminha que ele tenha apresentado, liste todo o histórico de manutenção para apresentar ao comprador. (leia mais)

É necessário de atentar à transferência
da documentação

ATPV, CRV ou DUT. Cada um chama o documento de transferência do veículo de um jeito, mas ele é aquele documento que quando compramos o carro a concessionária pede que guardemos em casa. Esse documento deve ser assinado assim que receber o valor acordado, para iniciar assim o processo de venda. (leia mais)

Tire uma cópia autenticada desse documento para que você não seja responsabilizado por multas e outros problemas durante o período em que o comprador não transferir o veículo para o nome dele. Feito isso, alinhe com o Detran do seu Estado todos os demais passos e burocracias e siga tudo à risca, para evitar problemas futuros.

E então, nosso artigo te ajudou a entender melhor como funciona a venda de carro usado? Quer vender para um particular e em local tranquilo e seguro? Clique aqui!


 

Que tal conferir também… 
Passo-a-passo para vender seu carro em um FeirãoFather Cleaning His Car and Son Relaxing in Toy Car --- Image by © Gary Salter/Corbis

Comentários - Deixe o seu

Comentários